Impacto Ambiental da Pegada de Carbono

Quase metade da população mundial se preocupa com a pegada de carbono causada por viagens de avião.

Autor(es)

  • Marcos Calliari CEO Ipsos no Brasil
Get in touch

A pesquisa Ipsos Global Advisor a respeito das visões globais sobre viagens aéreas e seu impacto ambiental, realizada para o Fórum Econômico Mundial, mostrou que 44% dos entrevistados se preocupam com a pegada de carbono – quantidade de dióxido de carbono proveniente da emissão de gases estufa (GEE) – causada por viagens aéreas. Embora a preocupação seja alta, apenas 14% dos respondentes disseram que usariam um meio de transporte com menor impacto no meio ambiente mesmo que fosse menos conveniente e mais caro. Um número maior de pessoas - 29% dos entrevistados -  viajaria de outra maneira se fosse tão conveniente quanto o avião ou não mais caro do que voar. 
 

O Brasil está abaixo da média global, com 34% dos entrevistados com essa preocupação. De acordo com a pesquisa, 13% dos brasileiros abririam mão do avião para reduzir o impacto no meio ambiente, mesmo que fosse menos conveniente e mais caro, e 22% escolheriam outro meio de transporte se fosse tão conveniente quanto o avião ou não fosse mais caro do que voar. 
 
A questão ambiental parece ter mais peso para os mais novos. O índice dos que se preocupam com o impacto ambiental das viagens aéreas é de 49% entre os menores de 35 anos, 44% dos entrevistados entre 35 e 49 anos e de 37% dos que têm entre 50 e 74 anos. 
 
O estudo ainda mostrou que, globalmente, um em cada quatro entrevistados (26%) não escolheria o meio de transporte baseado na pegada de carbono. 
 
Confiança
O público global está dividido em três grupos quase do mesmo tamanho quanto à confiança nas companhias aéreas em se comprometer e em ser hábil para reduzir o impacto ao meio ambiente: um terço diz confiar razoavelmente ou muito nessas capacidades das empresas, um terço confia pouco ou nada e um terço se mantém no meio. Essa confiança é mais comum entre os que voam com mais frequência (3 em cada 5).
 
A pesquisa on-line foi realizada com 19 mil entrevistados em 27 países, incluindo o Brasil, entre 21 de junho e 5 de julho de 2019. A margem de erro para o Brasil é de 3,5 p.p.
 

Autor(es)

  • Marcos Calliari CEO Ipsos no Brasil

Sociedade