Quase metade dos brasileiros acredita que vai mudar de onde vive por causa do aquecimento global

Brasil é o 3º colocado do ranking, empatado com a Malásia; A Índia, com 65%, lidera a pesquisa

Autor(es)

  • Priscilla Branco Manager Public Affairs, Brasil
Get in touch

Pesquisa feita pela Ipsos em parceria com o Fórum Econômico Mundial em 34 países revela que 49% dos brasileiros acreditam que vão precisar mudar de local onde vivem nos próximos 25 anos devido às mudanças climáticas. O índice está acima da média global, que é 35%. O primeiro colocado do ranking é a Índia, onde 65% das pessoas acham que vão precisar se mudar por causa das alterações bruscas no clima. 

No Brasil, 71% dos entrevistados disseram crer que as mudanças climáticas terão um efeito severo nos locais onde moram já nos próximos 10 anos. A média global neste cenário é idêntica à registrada no Brasil: 71%. Em Portugal, 88% concordam com esta projeção, o maior percentual entre as nações que integram o estudo. 

Além disso, 63% dos brasileiros afirmaram que as mudanças climáticas já tiveram um efeito grave onde vivem. A média global é de 56%. O primeiro colocado da lista é o México, que registrou índice de 75%.

Sobre a pesquisa

A pesquisa ‘Climate Change: Severity of Effects and Expectations of Displacement’ foi realizada pela Ipsos para o Fórum Econômico Mundial, entre os dias 22 de julho a 5 de agosto de 2022 com 23.507 entrevistados, sendo 1.000 entrevistas no Brasil. O levantamento foi realizado em 34 países: África do Sul, Alemanha, Austrália, Argentina, Arábia Saudita, Bélgica, Brasil, Canadá, Chile, China, Colômbia, Coreia do Sul, Emirados Árabes Unidos, Espanha, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Holanda, Hungria, Índia, Indonésia, Irlanda, Itália, Japão, Malásia, México, Peru, Polônia, Portugal, Romênia, Suécia, Suíça, Tailândia e Turquia. A margem de erro para o Brasil é de 3.5 pontos percentuais.
 

Autor(es)

  • Priscilla Branco Manager Public Affairs, Brasil

Sociedade