Global Advisor: Automação

Automação transformou a maneira como trabalhamos. A pesquisa foi realizada entre outubro e novembro de 2018 com 18.813 adultos de 26 países, incluindo Brasil, margem de erro 3,1 p.p.

Global Advisor: Automação

Autor(es)

  • Diego Pagura Managing Director, Ipsos Connect, Brasil
Get in touch

A preparação do trabalhador e as atitudes do consumidor em com relação à automação variam muito entre os países 

  • Quase metade dos trabalhadores relatam, globalmente, que a automação transformou totalmente seu trabalho
  • Três em cada dez trabalhadores dizem que a automação está colocando em risco seu emprego atual
  • Os cidadãos são duas vezes mais propensos a dizer que as tecnologias automatizadas

O novo relatório da Ipsos e do Fórum Econômico Mundial “Global Citizens and Automation” destaca como o trabalho no mundo todo está mudando profundamente. O estudo fornece uma visão aprofundada das atitudes dos consumidores, bem como a experiência e preparação dos trabalhadores em todo o mundo em relação à automação.

A pesquisa foi realizada entre outubro e novembro de 2018 com 18.813 adultos de 26 países, incluindo Brasil, na plataforma online Global Advisor da Ipsos. Ondas futuras do estudo de monitoramento global serão conduzidas e relatadas duas vezes ao ano. 

Experiência dos trabalhadores com automação é principalmente positiva, mas muitos temem que isso coloque o emprego em risco

Quase metade dos trabalhadores em todo o mundo (46%) afirma que a automação mudou o seu trabalho em comparação ao que era há dez anos e eles tendem a ver as mudanças de forma positiva.

  • Os trabalhadores são muito mais propensos a concordar do que discordar que a automação facilitou o seu trabalho (49% vs 18%), melhorou a qualidade do seu trabalho (46% vs 20%), reduziu os riscos de lesão durante o trabalho (42% vs 20%) e tornou o trabalho mais interessante (40% vs 23%).

No entanto, muitos se preocupam com a segurança no emprego. 30% concordam que a automação está colocando em risco seu emprego atual; 35% discordam.

  • A preocupação com a automação comprometendo o emprego prevalente entre trabalhadores agrícolas (38%) e aqueles em serviços de apoio administrativo (37%) e menor entre trabalhadores do setor de saúde e serviços sociais (23%).

Trabalhadores ao redor do mundo estão desigualmente preparados para a automação

Quase dois terços dos trabalhadores em todo o mundo (64%) dizem que seu empregador oferece treinamento para melhorar ou atualizar as suas habilidades técnicas.

  • No entanto, as disparidades entre os países são acentuadas. Mais de quatro em cada cinco trabalhadores na Índia (91%), na China (86%) e no Peru (84%) relatam receber treinamento sobre novas tecnologias e produtos que sua organização usa contra menos da metade no Japão (28%), Rússia (42%) e França (49%)

Tecnologias automatizadas tendem a ser bem vistas

Em média, 43% dos adultos em todo o mundo consideram as sete tecnologias automatizadas (dispositivos médicos conectados à internet, quiosque de pedidos eletrônicos, assistente de reconhecimento de voz, aparelhos conectados à internet e dispositivos domésticos, chatbots on-line de atendimento ao cliente, robôs e drones) como tendo um impacto positivo na vida das pessoas, contra 30% com avaliação neutra e 19% com avaliação negativa.

  • Uma grande lacuna separa países de alta renda de países de baixa renda quando se trata de visões sobre automação: em média, 64% na China e 62% na Índia avaliam positivamente o impacto das tecnologias de automação contra apenas 22% na Alemanha e na França e 23% na Bélgica.

Autor(es)

  • Diego Pagura Managing Director, Ipsos Connect, Brasil

Sociedade