Aplicação da Ciência à Medição de Audiências  | Ipsos Apeme
Audience Measurement

Aplicação da Ciência à Medição de Audiências

OUR SOLUTIONS
Melhorar os dados obtidos nos inquéritos com técnicas estatísticas.

Alguns dos principais serviços oferecidos na área da medição de audiências incluem a imputação de informação (colmatar hiatos em conjuntos de dados), a integração de dados (combinação de múltiplos conjuntos de dados), a modelização de audiências, o tratamento avançado de dados e as análises personalizadas.

Os participantes mostram-se cada vez mais relutantes em responder na íntegra a questionários longos. No entanto, a pressão para recolher informação mantém-se. Uma abordagem possível consiste em aplicar vários inquéritos mais curtos, cada um dos quais destinado a recolher informação que é específica de cada inquérito e informação comum a todos. A informação específica recolhida num inquérito pode depois ser ‘imputada’ a inquiridos a quem não foram feitas estas perguntas, mas sim as perguntas habituais (p.ex., dados demográficos, área de residência).

A integração de dados – ou fusão de dados – verifica-se quando se juntam dois ou mais estudos distintos, mais uma vez, usando dados comuns recolhidos em todos os estudos como forma de ‘equiparar’ os participantes de um e de outro – por exemplo, podemos recolher informações sobre públicos leitores num determinado estudo e sobre atividade online noutro e, em seguida, transferir a informação online do participante num determinado estudo para o participante de outro estudo que lhe é equiparável (mesmo género, idade, região etc.). O indivíduo em causa não terá de responder efetivamente às perguntas referentes a comportamentos online.

A modelização de audiências pode ser utilizada em casos em que os dados do inquérito não podem ser usados isoladamente. Por exemplo, podemos modelar o público leitor de jornais de baixa tiragem utilizando uma combinação de dados referentes à tiragem com dados provenientes de censos e informações sobre o título propriamente dito. Os hábitos de visionamento de televisão pelos indivíduos de um mesmo agregado familiar podem ser modelados utilizando dados pormenorizados captados a partir da box do seu aparelho de televisão ou do router da Internet (quer a televisão esteja ligada ou não, que o canal esteja ou não sintonizado etc.) e outra informação sobre a composição do agregado familiar.