Estado de espírito dos portugueses no contexto atual

Após 6 semanas em confinamento, saiba o que experienciaram os portugueses, qual o impacto do confinamento na sua saúde e bem-estar, e quais os sentimentos dominantes na semana de 20 a 26 de Abril.

Após a novidade dos primeiros tempos, em que a perspetiva de nos confinarmos em casa parecia trazer um acréscimo de tempo e de oportunidades desejáveis, chegam agora os novos tempos, em que a saturação e o cansaço são já evidentes e em que crescem os sentimentos de angústia, tristeza e ansiedade.

O isolamento e a ausência de interação social, a obrigação de estar sempre vigilante na proteção de si próprio, dos seus e dos outros, a incerteza e o desconhecido face à evolução da pandemia e vida em sociedade no futuro e ainda os efeitos colaterais desta situação, nomeadamente, em termos económicos, potenciam um estado anímico mais negativo.

Após 6 semanas em confinamento, a impaciência e o desejo de voltar à normalidade acabam também por fazer sobressair um mix de sentimentos, tendencialmente mais negativos. 

Através do nosso projeto contínuo Comunidade Covid-19, procurámos resposta às 3 questões seguintes:

estado espirito

 

Neste cenário de maior fragilidade, as mulheres e os mais jovens são os que se manifestam mais ansiosos, deprimidos e com um maior desejo de voltar rapidamente à normalidade. Mais de metade das mulheres entrevistadas confirma também que o seu estado emocional piorou ou piorou muito após o início da crise Covid-19.

mulheres covid-19

 

Conheça todos os resultados no paper O ESTADO DE ESPÍRITO DOS PORTUGUESES NO CONTEXTO ATUAL.