Pessoas dizem estar mais preocupadas com a saúde dos vulneráveis à COVID-19 do que com sua própria

Um lado positivo: a maioria acredita que a pandemia os aproxima da família e dos amigos.

Autor(es)

  • Marcos Calliari CEO Ipsos no Brasil
Get in touch

A maioria das pessoas entrevistadas está mais preocupada com pessoas vulneráveis à pandemia de coronavírus, mesmo nesse momento onde bloqueios de fronteiras e quarentenas forçam milhões a se isolarem.

Em 13 dos 16 países pesquisados, a maioria menciona preocupação por aqueles que são fracos e vulneráveis no topo de uma lista de 10 opções, quando perguntados o que melhor descreve como estão se sentindo hoje. As pessoas no Brasil (70%) são as mais preocupadas, seguidas por Espanha e Reino Unido (66%). México (61%), Canadá, França e Itália (os três com 60%) também têm grande probabilidade de expressar preocupação por outras pessoas, enquanto no Japão (23%) e na China (30%) as pessoas citam uma menor preocupação com os vulneráveis.

Are you concerned for those who are vulnerable or weak amid covid-19? | Ipsos

A preocupação com sua própria saúde aparece longe do topo da lista de 10 opções.

Are you anxious about your health amid covid-19 | Ipsos

Os resultados mostram que, embora possamos estar isolados por causa de medidas de distanciamento social, há sinais de que a crise está nos aproximando. Embora muitos evitem o contato físico com outras pessoas, não diminuiu o desejo de estar emocionalmente conectado a elas ou ao mundo em geral.

Além disso, a maioria (53%) das pessoas pesquisadas disse que é provável que a pandemia as aproxime de seus familiares e amigos. Esse sentimento é mais forte nos países asiáticos: Índia (72%), Vietnã (70%) e China (67%).J á o Japão (19%), Coreia do Sul (32%) e Alemanha (41%) são menos propensos a concordar com isso.

Do you think you will become closer to family and friends as a result of covid-19 | Ipsos

Muitos entrevistados dizem estar tentando usar bem o novo tempo encontrado durante o isolamento. Dois em cada cinco (44%) dos pesquisados estão otimistas em aprender uma nova habilidade durante a quarentena. Esse sentimento é mais alto nos mercados emergentes do Vietnã (75%), Índia (74%), México (64%), China (63%) e Brasil (60%), enquanto na Alemanha (42%), Coreia do Sul ( 33%), Espanha (32%) e Reino Unido (31%) os entrevistados disseram que isso é improvável.

Do you think you will learn a new skill as a result of covid-19 | Ipsos

Resultados da 6ª onda do  monitoramento Tracking the Coravirus, uma pesquisa Ipsos realizada de 26 a 30 de março de 2020 na plataforma on-line Global Advisor entre 28.000 adultos com idades entre 18 e 74 anos no Canadá e nos Estados Unidos e 16 a 74 na Austrália, Brasil, China, Espanha, França, Alemanha, Itália , Índia, Japão, México, Rússia, Coréia do Sul, Vietnã e Reino Unido. Onde disponível, são apresentados os resultados do rastreamento da Onda 3, realizada de 28 a 29 de fevereiro, de 14 a 15 de fevereiro e de 7 a 9 de fevereiro. O tamanho das amostras nas ondas anteriores foi de 1.000 por país

Autor(es)

  • Marcos Calliari CEO Ipsos no Brasil

Sociedade