Pulso Brasil - Outubro 2017

Barômetro Político do instituto mostra crescimento na aprovação a José Serra, Geraldo Alckmin, João Dória e FHC .

Pulso Brasil - Outubro 2017

Autor(es)

  • Danilo Cersosimo Diretor, Ipsos Public Affairs, Brasil
Get in touch
pulsobrasil

 

A pesquisa Pulso Brasil da Ipsos, deste mês, mostra que a avaliação positiva dos políticos do PSDB teve uma melhora em comparação a setembro – exceto o senador Aécio Neves. O governador de São Paulo foi o que apresentou o maior crescimento no índice de aceitação, com uma evolução de nove pontos percentuais (de 13% para 22%). Na sequência, vem Fernando Henrique Cardoso (aumento de oitos pontos – de 11% para 19%), José Serra que cresceu seis pontos (de 11% para os atuais 17%) e João Doria aumentou cinco pontos percentuais (de 16% para 21%).

Apesar da melhora, os políticos do PSDB apresentam forte rejeição. Aécio – que no ranking geral é o segundo mais desaprovado - possui taxa desfavorável de 93%, seguido por Serra (75%), FHC (72%), Alckmin (67%) e Doria (56%).

Por outro lado, o Barômetro aponta que Sérgio Moro, Joaquim Barbosa e Luiz Inácio Lula da Silva são as personalidades com maiores taxas de aceitação com 52%, 48% e 41%, respectivamente. Por sinal, o ex-presidente Lula vem aumentando sua aprovação desde julho/17 versus 57% de desaprovação.

Marina Silva, da REDE, também teve aumento de aprovação de oitos pontos percentuais em relação ao mês anterior (de 28% e outubro 36%).  A ex-ministra ainda apresenta queda de nove pontos percentuais de rejeição (de 60% para os atuais 51%).

Já o atual presidente do país, Michel Temer, continua com forte reprovação (95%) e baixo índice de aceitação (3%). O levantamento mostra também que para 95% dos entrevistados, o país está no rumo errado e 87% dos brasileiros avaliam o governo federal como ruim e péssimo.

“Ainda que os principais nomes tenham crescido em aprovação no mês de outubro, é importante observar o crescimento gradativo ao longo dos últimos meses de determinadas personalidades. Este resultado pode significar maior alinhamento com os anseios da opinião pública”, comenta Danilo Cersosimo, diretor da Ipsos Public Affairs, responsável pelo Pulso Brasil.

A pesquisa avaliou outros políticos quanto ao índice de desaprovação e aprovação, entre os quais o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (93% e 2%, respectivamente); Renan Calheiros (83% e 2%, respectivamente); Dilma Rousseff (78% e 19%, respectivamente); Gilmar Mendes (75% e 3% respectivamente); Rodrigo Maia (71% e 4%, respectivamente); Henrique Meirelles (65% e 6%, respectivamente); Fernando Haddad (59% e 6%, respectivamente); Ciro Gomes (58% e 21%, respectivamente) e Jair Bolsonaro (55% e 24%, respectivamente).

O estudo da Ipsos contou com 1.200 entrevistas presenciais em 72 municípios brasileiros. A margem de erro é de 3 pontos percentuais.

Autor(es)

  • Danilo Cersosimo Diretor, Ipsos Public Affairs, Brasil

Sociedade