Black Friday - 5 passos para uma campanha bem sucedida

A Black Friday 2018 está a chegar. Conheça os 5 passos para uma campanha bem sucedida, segundo Tim Denison, Diretor do departamento de Retail Intelligence da Ipsos e saiba mais sobre a história de um evento de retalho que evoluiu e que se tornou um fenómeno mundial.

Black Friday - 5 passos para uma campanha bem sucedida

Evolução da Black Friday

Com origens muito humildes, em Filadélfia, foi há 50 anos que a Black Friday se tornou um fenómeno de retalho mundial, em grande parte devido à internet e à comunicação social. Este dia de vendas extravagantes foi originalmente concebido como o dia ideal para se realizar compras abaixo do preço real das lojas. A ser realizado no dia a seguir ao Dia de Ação de Graças na América, o objetivo era o de abrir a época de compras de natal.

Na verdade, a Balck Friday apenas se tornou um dia mundial nos anos 90 e enquanto dia de compras mais movimentado do ano, só conseguiu superar o dia antes do Natal no ano de 2005. Desde então, não retrocedeu. O evento tornou-se um fenómeno do retalho mundial em menos de 10 anos e as vendas continuam a crescer anualmente. 

Nos dias de hoje, a Black Friday já não é apenas um sprint nacional de 24 horas, mas antes uma maratona internacional de vários dias. A Black Friday já não é apenas um evento baseado nas lojas fisicas, com a Cyber Monday alastrou-se também para o online. O retalho já revela uma natureza tão omnichannel nos dias de hoje que inclusive o período promocional entre o físico e online funde-se num só.   

 

5 passos para o sucesso

Todos os anos, há novas lições a serem aprendidas com a Black Friday. Errar pode ter consequências graves para os retalhistas dada a dimensão do evento e as repercussões que pode ter nos media. No paper Black Friday: Shifting its centre of gravity Tim Denison, diretor do departamento de Retail Intelligence da Ipsos, sugere 5 passos para uma campanha bem sucedida: 

  1. Quando se fala da Black Friday, não existe excesso de planeamento. Determine com antecedência o que vai promover, quando o vai fazer e como, de forma proativa e organizada. Trabalhe em cooperação com os fornecedores de forma a evitar surpresas desagradáveis e reações automáticas. 
  2. Agilidade é fundamental. Na Black Friday é impossível prever a procura. Os meios de comunicação social têm a capacidade de difundir notícias (boas ou más) a uma velocidade alarmante. Podem mobilizar compras em massa e terminar com os produtos em promoção do dia para a noite. 
  3. Controle o número de clientes que entram na sua loja. A superlotação invariavelmente invalida a experiência do cliente e assim arrisca-se a ser notícia pelas razões erradas.
  4. Ter a capacidade de criar logisticas stress-test e alterações de uma ponta a outra. O banner constante com os descontos aplicáveis pode criar uma procura sem precedentes e facilmente sobrecarregar o normal funcionamento das operações. Dada a importante contribuição das compras online para a Black Friday, não é apenas a criação de um espaço fisico ao nível de instalações de stock, cumprimento e pagamento que interessa, mas resiliência e competência do serviço de pesquisa do website e dos conteúdos acerca dos serviços prestados. 
  5. Prepare-se para colocar em prática uma estratégia de gestão de crise. As falhas operacionais e a agressiva exposição dos meios de comunicação social podem arriscar reputações prejudiciais, se não forem tratadas com rapidez e eficácia.

Faça o download do artigo completo (em inglês).