Dia da Mulher 2021: um breve olhar sobre o lugar da mulher na sociedade atual

Há ainda muito caminho a percorrer, mas as atitudes parecem estar a mudar.

Autores

  • Elsa Gervásio Client Service Director
  • Cláudia Ventura Mkt & Communication Executive
Get in touch

Os grandes movimentos sociais e legais que, gradualmente, foram reconhecendo um estatuto mais igualitário do papel da mulher na sociedade portuguesa têm cerca de 100 anos.

Foi há 111 anos que, legalmente, as mulheres deixaram de dever obediência ao seu marido; há 90 anos que foi concedido o direito de voto às mulheres que tivessem um curso secundário ou superior; há 53 anos que as mulheres obtiveram os mesmos direitos políticos que os homens e apenas há 31 anos que passou a ser proibida a discriminação sexual em atividades publicitárias. 

O Dia Internacional da Mulher, instituído em 1975 é hoje comemorado em mais de 100 países, como um dia que celebra o papel e contributo da mulher na sociedade, as suas conquistas e ainda a necessária luta pelos seus direitos, onde continuam a ser discutidos temas como a igualdade de tratamento entre mulheres e homens, e a igualdade de oportunidades e de condições perante o trabalho.

A propósito deste dia Internacional da Mulher realizámos um inquérito online para compreender melhor a opinião dos cidadãos portugueses sobre as atitudes em relação à igualdade de sexos, bem como aos direitos e principais problemas enfrentados pelas mulheres, em Portugal.

A recolha foi realizada entre 26 de fevereiro e 8 de março, a uma amostra nacional de 540 indivíduos. 

ATITUDES FACE À IGUALDADE ENTRE SEXOS

A maioria dos portugueses inquiridos reconhecem que ainda não existe igualdade entre sexos - 55% afirmam que, na sociedade atual, existem mais vantagens em ser homem do que em ser mulher. E não é apenas o sexo feminino quem reconhece existirem desigualdades - uma percentagem bastante significativa dos homens (47%) admite o facto de os homens terem mais vantagens.

38% afirmam não existir nenhuma diferença entre sexos e apenas 7% afirmam ser mais vantajoso ser mulher. 

Há ainda um percurso pela frente e os portugueses inquiridos têm consciência disso - 8 em cada 10 admitem que em Portugal ainda não se alcançou o suficiente em termos de igualdade de direitos entre mulheres e homens. Contudo, 94% afirmam que alcançar a igualdade entre homens e mulheres é um tema importante para si.

AS MULHERES E A SUA SITUAÇÃO PERANTE O TRABALHO

Mais de 9 em cada 10 inquiridos afirmam não se sentir desconfortáveis se o diretor da empresa onde trabalham for uma mulher. Ainda assim, a falta de mulheres em funções de liderança é apontada como o 5º problema mais importante que as mulheres jovens e adultas enfrentam em Portugal.

Não é apenas o tema da progressão da carreira no sexo feminino que está em debate. Também as disparidades salariais são uma preocupação. 80% afirmam estar a par das disparidades salariais entre sexos em Portugal.  Contudo, são ainda 20% os que afirmam concordar com a afirmação “Em Portugal e para o mesmo trabalho, os empregadores pagam às mulheres o mesmo que aos homens”.

No que concerne à gestão da vida pessoal com a vida profissional, em Portugal, o cuidar dos filhos já não é visto como um papel apenas destinado à mulher, como acontecia há alguns anos. Ainda assim, são 2 em cada 10 os que afirmam concordar que “Faz mais sentido ser a mulher a ficar em casa para cuidar dos seus filhos do que o homem”.

PROBLEMAS QUE AS MULHERES JOVENS E ADULTAS ENFRENTAM EM PORTUGAL

Na opinião dos entrevistados, a violência doméstica é o problema mais importante que as mulheres enfrentam em Portugal. A igualdade de remuneração e o assédio sexual são os dois tópicos seguintes com maiores referências.

É interessante observar que as mulheres (versus os homens) tendem a sobrevalorizar temas relacionados com o trabalho e remuneração, o equilíbrio entre o trabalho e a vida familiar e a independência financeira. Temas, porventura, mais vividos/experienciados no seu quotidiano. Os homens tendem a sobrevalorizar temas mais mediáticos tais como a violência doméstica e o assédio sexual.

O PAPEL DOS HOMENS NA IGUALDADE ENTRE SEXOS

Embora se reconheça ainda um conjunto alargado de temas onde a mulher está numa situação de desigualdade, os resultados parecem apontar para uma maior consciencialização sobre a necessidade de alterar esta situação e consequentemente uma mudança de atitudes, de homens e mulheres.

Efetivamente, 74% dos inquiridos reconhecem a relevância do papel dos homens na conquista pelos direitos das mulheres, afirmando mesmo que as mulheres não alcançarão a igualdade em Portugal sem a ajuda do sexo oposto. Embora sejam mais as mulheres a manifestar esta opinião, 69% dos homens também concordam que devem ter um papel ativo na luta pela igualdade de direitos.

Para ter acesso aos dados completos do estudo, veja o ficheiro disponível para download. ⬇️

Autores

  • Elsa Gervásio Client Service Director
  • Cláudia Ventura Mkt & Communication Executive