Mobile

O mobile está agora a passar por um momento de rutura, devido à ultrapassagem do acesso fixo à internet, em muitos mercados, tanto nas economias desenvolvidas como nas economias em desenvolvimento. As interações dos consumidores com as marcas são, mais do que nunca, fragmentadas e multiestratificadas. Os consumidores têm vidas ocupadas e uma rotina multitarefas. Consequentemente, muitos dos planos de exposição das marcas não funcionam e a recordação das marcas esgota-se mais rápido do que o esperado.

Para que serve?

Nos últimos anos, temos visto uma crescente proliferação do mobile em todo o mundo. Não só temos o número de utilizadores tem crescido, como também temos assistido a um maior envolvimento dos consumidores com os seus dispositivos móveis, numa variedade de atividades diárias, seja assistir a vídeos, fazer compras, ou simplesmente aceder à internet. 

O mobile dá-nos a oportunidade de aprender sobre o valor e a relevância das interações contínuas, com cada touchpoint a representar uma potencial oportunidade para compreender as motivações, necessidades e os desejos dos consumidores.

Os benefícios que os estudos mobile podem trazer em relação ao tempo, localização e contexto são fundamentais para impulsionar os melhores insights:

  • Interação permanente com os entrevistados, permitindo uma rápida resposta e uma maior relação com os mesmos.
  • Respostas mais naturais e em tempo real, graças às conexões in-the-moment.
  • Conteúdo mais rico, devido à partilha de experiências, através de imagens, áudio, vídeo e, até mesmo, de dados baseados na localização.
  • Para além de estudos por respostas, usamos geolocalização e dados passivos via acompanhamento do uso do smartphone e/ou do comportamento a longo prazo.
  • Acesso a segmentos da população que já não utilizam computadores, por exemplo, os millennials, com idades entres os 18 e os 24 anos.

Temos mais de 12 anos de experiência no mercado mobile, realizando todos os tipos de estudos mobile, abrangendo desde o mais básico, como o sistema de SMS’s, até estudos muito complexos, com plataformas sofisticadas de inquirição e projetos com App’s de medição passiva (que não perguntam diretamente, mas acedem à informação do consumidor mediante autorização).

Os principais aplicativos da Ipsos são:

  • Device Agnostic permite que os inquiridos respondam aos estudos online através do dispositivo por eles escolhido, quer seja um smartphone, tablet ou desktop;
  • Etnografia e diários;
  • Eficácia de campanhas publicitárias;
  • Consumo de media com audimetria passiva e diários mobile;
  • Shopper, Path to Purchase e Movimento Populacional (Population Movement) com audimetria passiva e geolocalização;
  • Testes de produto com diários mobile;
  • Experiência do cliente (viagens, compras, etc.)
  • Feedback dos funcionários;
  • Estudos qualitativos com a aplicação Ipsos Applife

Como funciona?

  • Ipsos Engage: é uma interface da Ipsos e um modelo de questionário mobile para o browser. Isto torna todos os estudos mobile friendly, devido ao design responsivo dos questionários. Esta interface permite aos nossos inquiridos, enquanto fazem o estudo, terem uma experiência de visualização no dispositivo que eles escolheram, desktop ou mobile.
  • Ipsos Mobile App: esta é a plataforma ideal para usar quando o feedbak precisa de ser recolhido no momento, ou quando as perspetivas do consumidor precisam de ser recolhidas por um longo período de tempo. Esta plataforma tanto funciona online como offline e fornece uma ampla gama de opções, das mais simples até às mais complexas, de questões fechadas a questões abertas, beneficiando da tecnologia inerente ao dispositivo, por exemplo, a geolocalização e a captura multimédia (imagens, vídeo e gravações de áudio).
  • Ipsos AppLife: este é o estudo qualitativo “in-the-moment” ideal, pois possibilita organizar discussões que cobrem uma área geográfica ampla, sem ser necessário o face a face. Oferece insights mais ricos graças à geolocalização e opções de upload de imagem e vídeo. Também funciona tanto online como offline.
  • SMS: esta abordagem é útil para regiões com uma baixa penetração de smartphones, mas com um uso significativo do telemóvel, especialmente quando o estudo envolve perguntar apenas algumas questões, sem capturas multimédia e sem necessidade de voltar a entrar em contacto.

Todos os estudos que utilizam a Ipsos Mobile App, beneficiam do Online Resporting Dashboard, uma plataforma friendly que permite uma análise dos resultados em tempo real.

 

Geolocalização

As pessoas tendem a levar, para todos os lugares, os seus telemóveis. Tal torna a solução perfeita para fazer perguntas a todos os inquiridos, sem que estes tenham de aceder ao computador ou parar aquilo que estão a fazer.

Através do geo-triggering, podemos enviar estudos para os telemóveis dos nossos participantes, com a nossa aplicação, à medida que estes entram, passam tempo ou saiam de um local. O geo-tracking permite-nos compreender como é que as pessoas se movimentam quando estão em atividade, sem a necessidade de colocar questões.

Os bons cenários para os estudos baseados na localização incluem: movimento populacional, experiência de viagem, satisfação do cliente e experiência de compra.

Os estudos Shopper que impulsionam o geo-triggering permitem que os estudos sejam emitidos no momento certo, por exemplo, assim que o consumidor sai da loja. Tal abordagem permite que uma marca não só investigue sobre aqueles que fizeram uma compra; como também sobre aqueles que visitaram a loja mas não efetuaram a compra; ou que compraram apenas alguns itens daqueles que tinham planeado comprar. Como resultado, ao compreender as razões das compra perdidas, uma marca pode descobrir novas oportunidades e desenvolver medidas que ajudem a amenizar tais circunstâncias.